7° edição do Goiânia Art Decó está de volta com entrada gratuita

A abertura do festival será realizada nesta terça, às 19h, no Museu Confaloni, situado na Estação Ferroviária, com uma exposição de obras de 22 artistas da Associação Goiana de Artes Visuais (AGAV), retratando o estilo Art Déco através de diversas técnicas artísticas. Essas obras serão leiloadas após o festival em colaboração com a Secretaria de Cultura de Goiás (Secult-Goiás), e os fundos arrecadados serão destinados à construção do Complexo Oncológico de Referência do Estado de Goiás – Cora.

Desde 2018, o Goiânia Art Déco Festival tem sido uma plataforma vital para discutir a importância da preservação desse patrimônio histórico. No dia 28 de maio, o evento contará com duas palestras significativas no SESP, localizado na Rua 3, Centro. A primeira palestra, “Conservação do Patrimônio Moderno: O caso da casa modernista da rua 84 em Goiânia”, será ministrada pela arquiteta Júlia Mazzutti às 15h. Em seguida, às 16h30, a museóloga Bárbara Freire abordará o tema “Rota Art Déco para Saber de Cor”.

Um destaque da programação deste ano é a Exposição de Fotografias, apresentando as 22 melhores imagens dos patrimônios Art Déco goianos, selecionadas no concurso “Memórias em Foco”. As fotografias estarão disponíveis para visitação no Centro Cultural Marietta Telles Machado, na Praça Cívica, de 20 a 24 de maio, das 9h às 18h. Além disso, o GADF 2024 planeja organizar uma exposição itinerante em espaços culturais do estado e em cidades turísticas para promover o Art Déco de Goiânia.

Durante as exposições de fotografias e pinturas, serão oferecidos guias de acessibilidade para garantir que o festival seja inclusivo. O Goiânia Art Déco Festival é realizado pela ONYGO Turismo e foi contemplado pelo Edital de Fomento aos Festivais e Eventos do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás de 2023.

Cidade goiana bem pertinho de Brasília é um espetáculo natural que guarda segredos históricos da capital federal

 Luziânia, uma cidade histórica de Goiás, está estrategicamente localizada a aproximadamente 60 km de Brasília e 255 km de Goiânia. Sua localização privilegiada a torna um ponto de interesse para aqueles que desejam explorar as riquezas culturais e históricas da região. A cidade tem uma forte ligação com Juscelino Kubitschek, ex-presidente do Brasil.

Fazendinha JK em Luziânia: um escape histórico a um passo de Brasília

Fazendinha JK em Luziânia: um escape histórico a um passo de Brasília

Kubitschek escolheu Goiás, especificamente Luziânia, para viver durante a perseguição da ditadura. Ele possuía uma fazenda em Luziânia, conhecida como Fazendinha JK. Esta fazenda é um tesouro de natureza, história e hospitalidade, e é um destino turístico popular na região.

A Igreja do Rosário em Luziânia, uma relíquia do barroco perto de Brasília

A Igreja do Rosário em Luziânia, uma relíquia do barroco perto de Brasília

Um dos principais destaques de Luziânia é a Igreja do Rosário, uma joia do século XVIII em estilo barroco. A Igreja do Rosário, também conhecida como Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Santa Luzia, está localizada no bairro do Rosário. Esta igreja foi tombada por sua importância arquitetônica, histórica e cultural. A igreja foi construída em 1769 e é um marco histórico e religioso para a população local.Símbolo da cidade, a igreja  é famosa por rumores que sugerem covas de trabalhadores escravos abaixo de seu solo. Além da Igreja do Rosário, Luziânia abriga várias outras construções históricas bem preservadas que refletem os estilos arquitetônicos da era colonial. Esses tesouros históricos atraem amantes da arquitetura e da história, proporcionando uma rica experiência cultural.

Parque Ecológico de Luziânia é referência no entorno de Brasília

O Parque Ecológico de Luziânia, um convite à natureza a poucos quilômetros de Brasília

O Parque Ecológico de Luziânia, um convite à natureza a poucos quilômetros de Brasília

O Parque Ecológico de Luziânia, localizado na Rua 32, 48-286, Loteamento JK, Luziânia – GO, é uma área de preservação ambiental que oferece uma experiência imersiva na natureza. Este parque é um verdadeiro tesouro para os amantes da natureza, pois possui trilhas ecológicas e uma diversificada fauna e flora.Além disso, o parque é palco de eventos importantes, como o Festival Luziânia Sustentável. Este evento, que é o primeiro do gênero em Goiás, busca a construção de um mundo melhor através do uso consciente dos recursos naturais sem comprometer o bem-estar das gerações futuras. O festival oferece diversas atividades sustentáveis, como workshops, mesas de debate, experiências imersivas alinhadas aos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU, apresentação de projetos, arte, praça de alimentação, circuito de esportes e uma arena de shows3.

O Parque Ecológico de Luziânia é altamente recomendado para visitação, com uma classificação de 5 estrelas no TripAdvisor. A entrada é gratuita, mas é solicitada a doação de 1kg de alimento não perecível. Portanto, se você está procurando uma experiência imersiva na natureza, o Parque Ecológico de Luziânia é definitivamente um lugar que vale a pena visitar.

Bali Park: diversão aquática em grande escala bem pertinho de Brasília

Bali é um dos destinos preferidos do entorno de Brasilia

Bali é um dos destinos preferidos do entorno de Brasilia

Localizado na histórica Luziânia, Goiás, Bali Park é um destino de entretenimento aquático que se destaca não só no Brasil mas em toda América do Sul. O parque, que se estende por uma área de mais de 200.000 m², inclui o maior parque aquático e um resort, oferecendo uma combinação ideal de lazer e hospedagem. A maior atração de Bali Park é, sem dúvida, sua praia artificial, a maior da América do Sul. Com areia branca e águas cristalinas, ela oferece uma experiência de praia genuína no coração do Brasil. Além disso, o parque oferece uma variedade de atividades aquáticas como wakeboard, considerado o primeiro cable park em um lago aberto no país, e uma super tirolesa, única no Brasil por permitir a descida de quatro pessoas simultaneamente.

Com infraestrutura pensada para todos os públicos, o Bali Park tem atrações que vão desde tobogãs radicais e um rio lento até piscina de ondas e espaço kids. Para os mais aventureiros, o parque oferece caiaque, wake surf, e uma área para bar flutuante, garantindo diversão para todas as idades

O parque está convenientemente localizado a 80 km de Brasília, facilitando o acesso para turistas da capital e região. Para quem deseja uma experiência mais prolongada, o Bali Resort oferece hospedagem de qualidade com vistas para as atrações aquáticas.

Bali Park não é apenas um parque aquático; é um local onde memórias são criadas em um ambiente seguro e divertido, combinando a emoção das atrações aquáticas com a beleza natural de Luziânia. Com tantas opções de lazer, é o destino perfeito para uma escapada de fim de semana ou férias em família.

Cachoeiras de Luziânia: Tesouros Naturais para Descobrir no entorno de Brasília

Luziânia, localizada a apenas 60 km de Brasília, é um convite à exploração de suas belezas naturais, com destaque para suas impressionantes cachoeiras. Aqui está um guia para ajudá-lo a planejar sua visita a esses destinos refrescantes:

Cachoeira Águas Claras
A apenas 16 km do centro de Luziânia, acessível pela rodovia GO-010, a Cachoeira Águas Claras é o local perfeito para quem busca uma escapada rápida da rotina. Com suas águas límpidas e frias, é ideal para um mergulho revitalizante. O cenário é complementado pela rica vegetação do Cerrado, proporcionando uma atmosfera tranquila e um excelente cenário para fotografia.

Cachoeira 3 Vendas
Mergulhe na serenidade da Cachoeira 3 Vendas, onde a natureza se manifesta em grande majestade. Este local oferece um ambiente sereno para relaxar e se conectar com a natureza. É uma ótima opção para famílias e aventureiros, oferecendo não apenas belas piscinas naturais mas também áreas adequadas para piqueniques.

Atividades e Comodidades
Ambas as cachoeiras são acessíveis e contam com trilhas bem definidas. Visitantes podem desfrutar de atividades como natação, caminhadas e, ocasionalmente, esportes aquáticos. É importante levar suprimentos como água e lanches, pois as opções de serviços no local podem ser limitadas.

Dicas para Visitantes
Para garantir uma visita segura e agradável, recomenda-se verificar o clima antes de ir, pois as trilhas podem se tornar escorregadias após chuvas. Além disso, considerar um guia local pode enriquecer sua experiência, oferecendo insights sobre a flora e fauna locais, bem como histórias da região.

Explorar as cachoeiras de Luziânia não só proporciona uma pausa refrescante mas também a oportunidade de apreciar e respeitar a impressionante natureza do Cerrado brasileiro.

Fazenda jardins do cerrado  

Dona de uma beleza incomparável do nosso cerrado, a fazenda possui diversos  atrativos: como trilhas, cachoeiras e lindas árvores frutíferas. 

Está entre os 10 maiores pontos de observação de beija flor do brasil 

Possui birdwatching cerca de 240 espécie de aves catalogadas. É rico pelas suas  beleza naturais, e faz parte do nosso turismo local. 

A culinária local também é um destaque, com restaurantes que oferecem o melhor da  gastronomia goiana, com pratos típicos que conquistam o paladar de quem visita a  cidade. 

FESTA DO DIVINO 

Reconhecida pelo IPHAN, em abril de 2010, como Patrimônio Cultural Imaterial do  Brasil, a Festa do Divino Espírito Santo celebra, em 2024, muitos anos de história e  tradição. A Festa do Divino Espírito Santo é uma manifestação genuinamente popular,  que traduz o espírito festivo e alegre do nosso povo. 

A festa tem o seu ápice no Domingo do Divino, 50 dias após a Ressurreição de Cristo,  no Domingo de Páscoa, segundo o calendário da igreja católica. Oriunda dos Açores,  região de Portugal, onde é conhecida como as Cavalhadas de São Pedro, a festa mescla  festejos religiosos e profanos e reúne uma série de manifestações, tais como passagem  da Bandeira do Divino que se inicia no Centro Comunitário da cidade com termino na  Praça do Divino, temos também novena, folias, procissão, missa, reinados, e outros  eventos. 

Como de costume, após as celebrações, os festeiros se deliciam nas barracas de  comida que ficam localizadas no Centro Comunitário da cidade. Na gastronomia o  biscoito de queijo frito é o mais famoso e procurado, seguido pelo pastel. “O biscoito  de queijo já faz parte da tradição da Festa. Impossível participar do evento e não  experimentar 

Mantegaria nacional 

Manteigaria Nacional é um dos destaques da cidade que fica no entorno de Brasília

Manteigaria Nacional é um dos destaques da cidade que fica no entorno de Brasília

A Manteigaria Nacional é responsável por oferecer deliciosas manteigas de  diversos sabores, embaladas de forma charmosa e com um toque de arte, sem  conservante. Com o primeiro selo ARTE aprovado pelo selo S.I.M do país, essa empresa se  destaca pela qualidade e tradição em seus produtos! Os sabores oferecidos pela Manteigaria são variados e surpreendente, Um  verdadeiro sucesso. 

Oca Gastronomia 

 

O Oca Gastronomia é o mais novo destino turístico, com restaurante flutuante e vista  privilegiada ao nosso Lago Corumbá IV. Nasceu para levar novas experiências sensoriais ao mundo do vinho e os pratos  evidenciam toda a essência local somados com o que há de melhor da alta  gastronomia internacional.   Diego Trappel é Portovelhense e dedicou anos da sua vida estudando longe de casa  para então se tornar Enólogo e Sommelier, o especialista de vinhos, também é  fundador da @ocawine primeira enoteca da região norte do Brasil, sendo uma marca  especializada em proporcionar experiência enogastronomicas, no flutuante no Lago  Corumbá IV, localizado no Condomínio Porto do Vale Resort. 

Com sua riqueza histórica, belezas naturais e hospitalidade do povo goiano, Luziânia se  destaca como um destino turístico imperdível para quem deseja conhecer um pouco  mais da cultura e da história do estado de Goiás. 



 

Leia também:

Cidade de Goiás é um verdadeiro tesouro que guarda a coração do tempo, ouro e fé

Procissão do Fogaréu leva visitantes para uma noite de mistério e fé na cidade de Goiás

.

 

Espetáculo nacional de comédia romântica “Amantes do Teatro” chega a Goiânia

Uma atriz e um ator, amigos de longa data, se reencontram para encenar um espetáculo e, entre personagens, risadas e reflexões, levam o público a conhecer a história do teatro. É nesta órbita de humor e amor que gira a trama de “Amantes do Teatro – A Comédia”, peça nacional que será apresentada na capital no dia 18 de maio, sábado, em duas sessões, no Teatro Goiânia, às 17h e 20h. O texto é de Ana Guasque, que também dirige a montagem e atua ao lado de Eduardo Mossri, com encenações clássicas da dramaturgia.

Os ingressos estão à venda no site Sympla com valores fixos de R$ 10, R$ 20 e R$ 40,00, os ingressos físicos estão disponíveis na Komiketo Sanduicheria da Avenida T-4.

A sessão das 20h contará com intérprete de Libras e audiodescrição. Após a estreia de sucesso em Brasília, a peça já foi apresentada em Cuiabá, Ilhéus, Recife, Fortaleza e Ouro Preto. Depois das apresentações em Goiânia, segue em turnê pelo Brasil.

Divertido e carinhoso, o espetáculo promete cativar os corações dos espectadores com textos da Grécia Antiga ao Renascimento, passando por Shakespeare, Moliére e Tchecov até chegar aos tempos atuais, sempre encenados com muito humor e entusiasmo vibrante, numa comédia firmada nos alicerces históricos da cultura. A metalinguagem serve para compreender a passagem do tempo e conquistas humanas, mas também propõe uma reflexão para o público através das distintas personagens que a dupla interpreta.

Foto: Marcos Martins

Inclusão e formação

Como meio de promover a democratização do acesso à cultura, serão realizadas palestras sobre a história do teatro para alunos da rede pública de ensino de Goiânia e em instituições de atendimento à PCD selecionadas, além de distribuição gratuita do texto do espetáculo em braile para bibliotecas acessíveis. E como contrapartida social, serão disponibilizadas cortesias para assistir ao espetáculo para alunos e professores da rede pública de ensino, instituições e comunidade.

Confira a programação da 22ª Semana Nacional de Museus em Goiás

A 22ª Semana Nacional de Museus (SNM), em celebração ao Dia Internacional dos Museus (18 de maio), começa oficialmente na segunda-feira (13/05) e se estende até domingo (19/05).

Em Goiás, no entanto, as atividades iniciam já nesta sexta-feira (10/05), com palestra no Museu da Imagem e do Som (MIS). Todas as unidades da Secretaria da Cultura (Secult) e o Arquivo Histórico Estadual também terão programação especial.

No MIS, a primeira atividade é a oficina “Para que o caderno de registro de visitantes e pesquisa de público?”, com Luis Felipe Pinheiro, museólogo, analista de dados e coordenador da unidade, e Aluane de Sá, museóloga e coordenadora do Núcleo de Conservação e Preservação do Acervo (NUCPA). A palestra será das 09h às 10h30, na sexta-feira (10/05), no Centro Cultural Marietta Teles Machado, na Praça Cívica, em Goiânia.

No dia 13, segunda-feira, às 17h30, será inaugurada a exposição fotográfica Goiânia Art Déco Festival, no Centro Cultural Octo Marques, com a presença de Gutto Lemos, idealizador e proponente da iniciativa. A mostra temporária faz parte do projeto Goiânia Art Déco Festival, que reúne uma série de fotografias do patrimônio cultural Art Déco da capital sob a ótica de vários artistas.

Também na segunda-feira, das 19 às 22h, no MIS, será realizada a palestra “Memórias de si, dos outros e das coisas: percursos de Edna Luísa de Melo Taveira a partir de seu arquivo pessoal”, com a pesquisadora Ana Cristina Santoro, conservadora do Museu Antropológico da Universidade Federal de Goiás (UFG); e mediação da museóloga Aluane de Sá, coordenadora do NUCPA.

As demais unidades geridas pela Secult Goiás que contam com programação especial são Arquivo Histórico Estadual e os museus Pedro Ludovico (Goiânia), Conde dos Arcos (cidade de Goiás) e Ferroviário de Pires do Rio. Discentes de Museologia, Artes, História, áreas afins e demais pessoas interessadas na temática podem conferir os detalhes no site da Secult Goiás.

Goiânia recebe evento para amantes de HQ’s e cultura pop com entrada gratuita

A quarta edição do Mandrake Fest será realizada nos dias 10, 11 e 12 de maio, na Vila Cultural Cora Coralina, em Goiânia. O evento, que é um dos maiores do estado sobre HQ’s, contará com uma programação que envolve palestras e atividades de entretenimento voltadas para a cultura pop/geek para todas as idades. Todo o line up é gratuito.

O festival começa na sexta-feira (10), a partir das 14h, e segue até às 17h do domingo (12) com as seguintes palestras: O Universo das Miniaturas, Literatura Expandida, Design Editorial, Processo Criativo em HQs, Dossiê do Artista, Cosplay no Evento, Da Gráfica para o Balcão – A Saga dos Livreiros e Mercado Editorial no Brasil – Livros dos 4 Cantos do Mundo Chegando ao Brasil.

As explanações terão como temática o “Caminho do Livro”, cuja ideia é abordar a jornada completa do livro, desde a criação até a distribuição, passando pelos processos de design, editoração, produção independente, curadoria e gestão de livrarias.

Além disso, na sexta-feira, o evento contará, ainda, com uma mesa de RPG, que é uma atividade que propõe um jogo de atuação para os participantes, com a presença especial do ator e humorista Fernando Caruso. Já no sábado, também haverá uma oficina de maquiagem para cosplay.

Quem for ao evento ainda poderá prestigiar a feira de artes, onde serão comercializados os trabalhos de editoras, livrarias e artistas independentes de diferentes partes do país.

O Mandrake Fest é uma realização da Mandrake Comic Shop, com recursos do Fundo de Arte e Cultura de Goiás do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. Mais informações sobre o festival podem ser conferidas no Instagram @mandrakecomicshop.

Concurso de cosplay está com inscrições gratuitas abertas

Outra atração do Mandrake Fest é o concurso de cosplay, que está com inscrições abertas até o dia 8 de maio. Os interessados deverão preencher o formulário disponível no link da bio do Instagram da Mandrake (@mandrakecomicshop) e postar, até o dia seguinte, uma foto marcando a página e com a hashtag #mandrakefest. A inscrição é gratuita e aberta a todos, sendo que menores de 18 anos precisam da autorização dos responsáveis.

Os inscritos serão observados e analisados durante o evento por jurados ocultos. Isso significa que, ao invés de desfilar em um palco formal, os cosplayers serão avaliados de forma anônima por critérios como fidelidade ao personagem representado, detalhes, acabamentos e acessórios da roupa ou de objetos complementares, comportamento, movimentação e representação do personagem escolhido.

Os vencedores do concurso receberão troféu, além de vale-compras na Mandrake Comic Shop no valor de 400, R$ 200 e R$ 100, para os 1º, 2º e 3º lugares, respectivamente. O resultado será anunciado após o término do evento nas redes sociais da loja.

Confira abaixo a programação completa:

SEXTA-FEIRA (10/5)

14:00 – Palestra “O Universo das Miniaturas” com Fábio Miniaturas

15:00 – Palestra “Literatura Expandida” com Ademir Luiz

17:00 – Mesa de RPG com Fernando Caruso, Gustavo Doo, Eduardo Kolody e Gustavo Marques

 

SÁBADO (11/5)

10:00 – Oficina de Maquiagem para Cosplay com Kim Batista

14:00 – Palestra “Design Editorial” com Tiago Holsi

15:00 – Palestra “Processo Criativo em HQs” com Edgar Franco Ciberpajé

16:00 – Palestra “Dossiê do Artista” com Luiz Gê e Márcio Jr.

 

DOMINGO (12/5)

11:00 – Palestra “Cosplay no Evento” com Thaiza Montine

13:00 – Palestra “Da Gráfica para o Balcão – A Saga dos Livreiros” com Mandrake Comic Shop, Livraria Palavrear, Livraria Pomar e Banca Tatui

15:00 – Palestra “Mercado Editorial no Brasil – Livros dos 4 Cantos do Mundo Chegando ao Brasil” com Pipoca & Nanquim

5 filmes que são inspirados em Shakespeare para assistir no streaming

Há 408 anos, morria o maior dramaturgo de todos os tempos, William Shakespeare. O autor inglês faleceu em 23 de abril, mesmo dia de seu aniversário – embora algumas teorias apontem que a coincidência de datas foi obra de biógrafos. Mas este não é o único fato curioso para se recordar a respeito dele.

Séculos após serem escritas, suas obras ainda são lembradas e inspiram livros, filmes, peças e a arte de modo geral. É por isso que, se você acha que por não ter lido Romeu e Julieta ou Hamlet nunca esteve em contato com o escritor, está muito enganado.

Já ouviu falar na clássica animação da Disney, O Rei Leão? E na comédia-romântica 10 Coisas que Eu Odeio em Você? Acredite, Shakespeare está por trás delas.

Conheça abaixo 5 filmes que você não sabia, mas foram inspirados nas obras do dramaturgo, e onde assistir cada produção:

O Rei Leão

Um rei que é assassinado pelo irmão invejoso, despertando o sentimento de vingança do único sobrinho e herdeiro legítimo do trono. Essa poderia ser a sinopse do clássico da Disney, O Rei Leão, mas é também o resumo da trama de Hamlet, a peça mais longa escrita por William Shakespeare. Na obra original, o rei Hamlet é envenenado por seu irmão, Cláudio, que em seguida toma o trono casando-se com a rainha viúva. Assombrado pelo espírito de seu pai, o príncipe Hamlet de Dinamarca decide lutar contra o próprio tio e retomar o trono que lhe é de direito.

Onde assistir: Disney+

 

Todos menos Você

A comédia romântica lançada em 2023 conta a história de amor de Bea e Ben, que se conhecem pelo acaso e tem um único encontro bem-sucedido. Dali em diante, um mal entendido faz com que se tornem inimigos mortais, até que se veem obrigados a conviver quando a irmã de Bea decide se casar com a melhor amiga de Ben. Para não arruinar o casamento, amigos e familiares decidem armar um plano para unir os protagonistas.

É mais ou menos isto que acontece na comédia de Shakespeare intitulada Muito Barulho por Nada. Benedito e Beatriz estão ainda apaixonados, mas vivem brigando e não assumem o que sentem um pelo outro. Os amigos, para se divertir, dizem para Beatriz que Benedito está apaixonado por ela, e vice-versa.

Onde assistir: MAX

 

Ela é o cara

O diretor Andy Fickman não hesitou um só instante em deixar bem claro que a comédia Ela é o Cara foi inspirada na peça Noite de Reis, escrita por Shakespeare. Até os nomes dos personagens se repetem: Duque, Viola, Olívia, Sebastian. Na história do dramaturgo inglês, Viola disfarça-se de homem quando pensa que seu irmão gêmeo, Sebastian, morreu em um naufrágio. Então, arruma como trabalho enviar as cartas de um casal apaixonado, Duque e Olívia. Em pouco tempo, Viola se vê apaixonada por Duque, enquanto Olívia apaixona-se por Viola acreditando que ela seja um homem. Uma verdadeira confusão!

Agora imagine essa história se passando em pleno século 21, quando Viola é, na verdade, uma estudante de Ensino Médio apaixonada por jogar futebol. Quando o time feminino de sua escola é extinto, a protagonista decide de fantasiar do irmão gêmeo, Sebastian, para jogar no time masculino da escola rival – mas acaba se apaixonando pelo colega Duque, e o resto da história você imagina.

Onde assistir: Prime Video

 

10 coisas que eu odeio em você

Mais um clássico das comédias românticas, estrelado por Julia Stiles e Heath Ledger em 1999. No filme, a protagonista Kat é retratada como uma mulher impetuosa: não tenta agradar a ninguém, pouco se importa com romances e não é vaidosa. O completo oposto de sua irmã mais nova, Bianca, que não vê a hora de namorar. Tudo muda quando o pai das adolescentes coloca uma regra: a caçula só estará livre para um romance quando Kat conhecer um namorado.

Kat é A Megera Domada, de William Shakespeare. Na peça, a jovem Katherine é cortejada pelo grosseiro Petrucchio (interpretado por Heath Ledger no filme contemporâneo), com o objetivo de tirá-la do caminho de Bianca e permitir que a irmã mais nova enfim se case.

Onde assistir: Disney+

 

Amor, Sublime Amor

A última referência da lista não demanda muitas explicações: Romeu e Julieta é, de longe, uma das histórias de amor mais famosas de todos os tempos. Filhos de famílias rivais, os Capuleto e os Montéquio, Romeu e Julieta apaixonam-se e precisam enfrentar a resistência dos familiares para ficarem juntos. A história termina em tragédia, com ambos suicidando-se.

Não faltam referências a essa obra de Shakespeare na literatura e no cinema, mas uma das mais famosas é Amor, Sublime Amor (West Side Story). A história de Tony e Maria, dois jovens de gangues rivais que se apaixonam na Nova York dos anos 1950, estreou na Broadway em 1957 e acabou adaptada duas vezes para o cinema – a mais recente versão, lançada em 2021, foi dirigida por Steven Spielberg.

Onde assistir: Disney+

 

*Fonte: Guia do Estudante

Veja também:

Nordeste abriga a extraordinária, colorida e festiva Havana brasileira

Salvador, capital do estado da Bahia,  no Nordeste do Brasil, é frequentemente chamada de “Havana Brasileira” devido à sua semelhança com a capital cubana, especialmente em termos de arquitetura colonial, música e a vibrante alegria de viver. Essa conexão não se limita apenas ao visual ou ao clima, mas também à rica história e cultura que essas cidades compartilham​.

A arquitetura de Salvador é um dos elementos que mais lembra Havana. O Pelourinho, bairro histórico da cidade, possui ruas de paralelepípedos e casas coloniais coloridas, similares ao estilo arquitetônico encontrado em Havana Vieja, o centro histórico da capital cubana. Além disso, tanto Salvador quanto Havana têm uma conexão profunda com suas raízes afrodescendentes, refletidas na música, na dança e na religião. A tradição do Candomblé em Salvador é um exemplo de como a cidade manteve viva a herança africana ao longo dos anos​.

A semelhança também se estende à alegria e ao espírito festivo. Salvador é conhecida por suas festas e festividades, como o Carnaval, um dos maiores do mundo, que se assemelha ao espírito festivo de Havana, com sua música e dança. O Carnaval de Salvador é um evento vibrante, com trios elétricos e blocos que desfilam pelas ruas, trazendo uma atmosfera de celebração e energia contagiante​ (Salvador DestiEventos)​.

Além do Carnaval, Salvador celebra outras festividades que remetem à herança africana, como a Festa de Iemanjá. Esses eventos são marcados por uma mistura de culturas e religiões, com destaque para as tradições afro-brasileiras. A influência africana também é evidente na culinária, com pratos como acarajé e moqueca sendo populares na cidade.

Outro aspecto que aproxima Salvador de Havana é a musicalidade. A cidade é conhecida como um dos principais centros de música do Brasil, com estilos que vão do axé ao samba-reggae. Bandas como Olodum têm reconhecimento internacional e representam a conexão entre Salvador e suas raízes africanas​.

História e arquitetura da Havana brasileira

Uma das capitais do Nordeste, Salvador encanta com historia e belezas naturais

Uma das capitais do Nordeste, Salvador encanta com historia e belezas naturais

Salvador, capital da Bahia, é uma das cidades mais antigas do Brasil, fundada em 1549 por Tomé de Sousa como a primeira capital do Brasil. Com uma localização estratégica na Baía de Todos os Santos, Salvador tornou-se um importante centro comercial e político durante o período colonial. A cidade tem uma rica história, marcada por sua arquitetura colonial, igrejas barrocas e uma profunda conexão com a cultura afro-brasileira.

A arquitetura de Salvador é uma mistura fascinante de influências portuguesas e africanas. O Pelourinho, um dos bairros mais famosos, é conhecido por suas ruas de paralelepípedos e fachadas coloridas, além de suas igrejas coloniais. O bairro é um Patrimônio Mundial da UNESCO e atrai turistas de todo o mundo para apreciar sua beleza histórica. Além disso, o Pelourinho é um símbolo da resistência afro-brasileira, pois antigamente era onde escravos africanos eram punidos. Hoje, o local é um espaço de celebração da cultura negra, com grupos de capoeira, música ao vivo e apresentações de dança afro.

Salvador também é famosa por suas festas e festividades, como o Carnaval, um dos maiores do mundo. O Carnaval de Salvador é uma celebração vibrante, com trios elétricos e blocos que desfilam pelas ruas, trazendo uma atmosfera contagiante. Além do Carnaval, Salvador celebra outras festas, como a Festa de Iemanjá, que reflete a herança africana e reúne milhares de devotos para homenagear a deusa do mar..

A música é outro aspecto importante da cultura de Salvador. A cidade é conhecida por ser um dos principais centros de música do Brasil, com estilos que vão do axé ao samba-reggae. Bandas como Olodum representam a conexão entre Salvador e suas raízes africanas. A cidade também é conhecida por sua culinária, com pratos como acarajé e moqueca, que refletem a influência africana na gastronomia local.

Salvador é uma cidade que une tradição e modernidade. Além de seu rico patrimônio histórico, a cidade tem uma moderna rede hoteleira, infraestrutura para eventos e congressos, além de uma vida noturna vibrante. Os turistas podem explorar centros comerciais, shoppings e atrações como o Elevador Lacerda, que conecta a Cidade Alta e a Cidade Baixa, oferecendo vistas panorâmicas da cidade e da Baía de Todos os Santos.

A influência africana é uma parte vital da identidade de Salvador. O Candomblé, uma religião afro-brasileira, é uma parte importante da cultura da cidade. Existem também casas africanas, como a Casa do Benin e a Casa da Nigéria, que oferecem exposições e eventos culturais que promovem a conexão entre Salvador e suas raízes africanas.

Salvador é uma cidade diversificada e vibrante, com uma mistura única de história, cultura e festividades. A cidade tem algo a oferecer para todos, seja explorar sua arquitetura colonial, participar do Carnaval ou desfrutar da culinária local. Com suas influências africanas e portuguesas, Salvador é um destino que encanta e inspira visitantes de todo o mundo.

Para saber mais sobre a história de Salvador, acesse o artigo detalhado na Wikipédia..

Cultura e festividades da Havana brasileira

Salvador é famosa por sua cultura vibrante e festividades. O Carnaval de Salvador é uma das maiores festas do mundo, atraindo milhões de pessoas para as ruas. Durante o evento, blocos e trios elétricos desfilam pelas avenidas, animando os foliões com música ao vivo e muita dança. A energia contagiante do Carnaval de Salvador é comparável ao espírito festivo de Havana, onde a música e a dança também desempenham um papel central nas celebrações locais.

Além do Carnaval, Salvador celebra a Festa de Iemanjá, uma das principais figuras da religião afro-brasileira. Todos os anos, em 2 de fevereiro, milhares de devotos se reúnem na praia do Rio Vermelho para homenagear a deusa do mar. A festa é uma expressão da mistura de religiões e culturas que define a identidade de Salvador.

A culinária também é um elemento importante da cultura soteropolitana. Pratos como acarajé, moqueca e vatapá são tradicionais da região e refletem a influência africana na gastronomia local. Os mercados de rua e as feiras são ótimos lugares para experimentar esses sabores únicos e imersos na cultura da cidade.

Salvador é uma referência cultural

Salvador é uma referência cultural

Música e dança da Havana brasileira

Salvador é conhecida como a cidade da música. A diversidade musical é um dos aspectos que mais se destaca, com estilos que vão do axé ao samba-reggae, passando pelo pagode baiano. Os ensaios de bandas e artistas locais são eventos populares, especialmente durante a temporada de Carnaval.

A música também é uma parte importante do patrimônio cultural de Salvador. O Olodum, um dos grupos musicais mais famosos da cidade, é conhecido internacionalmente por seu ritmo contagiante e sua mensagem de resistência e celebração da cultura negra. O Olodum já colaborou com artistas globais, como Michael Jackson, e continua a ser uma força motriz na promoção da música afro-brasileira.

Influência internacional da Havana brasileira

A influência de Salvador se estende além do Brasil, chegando a comunidades afro-latinas em outros países. A cidade tem uma relação especial com Cuba, não apenas por suas semelhanças arquitetônicas, mas também por seu espírito revolucionário e pelo legado cultural compartilhado. Ambas as cidades são centros de resistência, celebração e diversidade, com uma herança rica que atrai visitantes de todo o mundo.

Salvador, a “Havana Brasileira”, é um destino que combina história, cultura, música e festividades em um pacote vibrante e inesquecível. A cidade oferece uma experiência única para os turistas, com suas ruas coloridas, música animada e uma rica tradição afro-brasileira. Para quem busca um lugar que exale alegria e celebração, Salvador é um destino obrigatório no Brasil. Seja para explorar o Pelourinho, participar do Carnaval ou simplesmente desfrutar da culinária local, Salvador é uma cidade que certamente deixará uma impressão duradoura em todos os que a visitarem.

 

Leia também:

Nordeste brasileiro tem um deserto apaixonante repleto de dunas encantadas

Conheça a extraordinária Ilha dos Namorados, um paraíso escondido entre as águas do Nordeste

58% dos brasileiros não tem hábito da leitura

Responda com sinceridade: quantas histórias você costuma consumir anualmente? Se sua média tem sido de ao menos um livro a cada dois meses, uma notícia pode te alegrar: seu ritmo de leitura é superior ao da maioria da população nacional — que, em meio a previsões de queda no gosto pela literatura, revelou ler no máximo cinco obras por ano.

A constatação faz parte da mais nova pesquisa da Preply, plataforma que, recentemente, entrevistou internautas de Norte a Sul e acaba de divulgar: em um país onde 30% das pessoas sequer já compraram um livro, como indicado pela pesquisa Retratos da Leitura, cerca de 60% dos entrevistados nunca tiveram interesse em ler ou sentem que perderam esse hábito, tornando-se leitores piores ao longo do tempo.

Isso porque, para compreender como pessoas de todas as regiões enxergam o mundo das palavras, a especialista no ensino de idiomas pediu que centenas de brasileiros de todas as regiões compartilhassem suas experiências com os livros, dos gostos literários aos ambientes mais propícios para se dedicar a uma nova história. Durante o levantamento, os respondentes ainda puderam apontar os maiores “vilões” da leitura no Brasil, entre opções como as responsabilidades domésticas e redes sociais.

Afinal, o que (e como) leem os brasileiros?

Embora nem todos os entrevistados no estudo da Preply se reconheçam como amantes da literatura, algo que o levantamento deixa claro é como, ao menos entre os que se entendem como tal, há muito a dizer sobre a paixão pelos livros — uma relação pautada por diferentes rituais, escolhas e preferências.

Quando o assunto são as diversas modalidades de leitura, por exemplo, se enganam aqueles que apostam na popularidade de certos formatos tidos como mais “modernos”: de acordo com cerca de 60% dos entrevistados, o livro impresso permanece sendo a opção mais agradável para se dedicar a uma boa história, percentual que o coloca muito à frente de alternativas em ascensão como os e-books (11,6%) e audiolivros (6,2%).

Em meio à ampla variedade de gêneros literários, por sua vez, as opiniões tendem a ser um pouco menos unânimes, com os livros de ficção (49,2%) e autoajuda (44,6%) liderando o topo de um pódio no qual também se destacam as histórias de mistério ou suspense (32,2%), fantasia e ficção científica (26,8%) e, claro, as boas e indispensáveis histórias de amor (28,4%).

Mas e quanto às melhores ocasiões para se dedicar à leitura? O que dizem os brasileiros? Ao serem questionados sobre as situações que mais costumam exigir a companhia de um livro, 8 em cada 10 entrevistados demonstraram predileção pelos momentos tranquilos em casa, enquanto outros afirmaram ler mais durante os períodos de espera (21,8%) e viagens de férias (19%), ambos marcados por certo ócio e despreocupação.

Das redes sociais aos programas de TV: por dentro dos “vilões” da leitura

Diante de um cenário de barreiras no acesso aos livros, baixos investimentos na educação e, em contrapartida, ascensão dos entretenimentos digitais, não é incomum que as pessoas tendam a enxergar a própria relação com os livros negativamente — impressão também reafirmada no levantamento conduzido pela Preply.

Para se ter uma ideia, depois de serem solicitados a avaliar as próprias experiências de leitura ao longo do tempo, aproximadamente 60% dos internautas compartilharam relações de distanciamento do universo das palavras, seja porque nunca tiveram interesse na literatura (16,6%) ou porque perderam o hábito de ler livros no decorrer dos anos (41,2%).

Se somados, são números maiores que a parcela que acredita estar lendo cada vez mais (28%) ou que vem mantendo o hábito ao longo do tempo (14,2%).

Os obstáculos elencados são diversos, mas parecem se dividir em dois grupos: em primeiro lugar, as distrações e hobbies alternativos, como é o caso das redes sociais (58,8%) e conteúdos audiovisuais (programas de TV, filmes e séries) (35,2%), seguidos pelas clássicas responsabilidades que geralmente interferem na disposição dos brasileiros — das demandas profissionais (48,6%) às familiares (40,%) e domésticas (33,8%).

Com tantas obrigações dentro e fora do escritório, não causa surpresa que a falta de incentivo ou motivação (15,2%) ainda apareça entre os maiores impeditivos para uma vida de leitura recorrente.

Os segredos para ler em outro idioma

Como uma plataforma especialista em idiomas, um dos interesses da Preply durante o levantamento girou em torno da capacidade de leitura em outras línguas entre os brasileiros, principalmente levando em conta que tal habilidade tem sido cada vez mais requisitada no âmbito profissional ou educacional. O  número de fluentes para além do português — segundo dados do British Council, por exemplo, apenas 5% do país se comunica em inglês —, somente 34% dos entrevistados disseram se sentir confortáveis para ler livros estrangeiros em seus idiomas originais, parcial ou totalmente.

Trata-se de uma parcela pouco volumosa quando ao lado dos 66% que ainda enfrentam dificuldades para se aventurarem pela literatura nas demais línguas, desafios em geral relacionados à limitação geral de vocabulário (62,2%), falta de contato com termos específicos (42%) e incompreensão de referências culturais de países além do Brasil (23,6%).

Para quem deseja dar o primeiro passo rumo à fluência por meio dos livros, mas não sabe por onde começar, os segredos, segundo os que leem em outros idiomas, são basicamente três: investir em dicionários bilíngues ou apps de tradução (46,7%), de forma a poupar o tempo de leitura; começar com narrativas infantis ou de fácil compreensão (45,5%) e, ainda, caprichar nas anotações (43,7%) para decorar mais naturalmente o sentido de certas palavras — dicas simples, mas que só tendem a trazer mais segurança aos interessados.

“A leitura consistente melhora a função cognitiva, aumenta a empatia e expande o conhecimento. É um treino para sua mente e alma”, comenta Sylvia Johnson, líder de Metodologia da Preply. “Para cultivar esse hábito, comece com o conteúdo que você adora, estabeleça metas gerenciáveis e faça da leitura uma rotina diária. Lembre-se, não se trata de velocidade, mas de compreensão e prazer.”

Metodologia

Para investigar os hábitos de leitura no Brasil, nas últimas semanas, 500 entrevistados de todas as regiões foram solicitados a responder a 10 questões envolvendo certos detalhes de suas relações e experiências com os livros, dos gêneros literários favoritos aos melhores ambientes para se estar na companhia de uma boa história. A organização das respostas possibilitou a criação de diferentes rankings, nos quais é possível conferir o percentual de cada alternativa apontada pelos entrevistados.

Leia também:

Bebê Rena atrai audiência recorde na Netflix com chocante história real

Extraordinária série sul-coreana é a nova sensação da Netflix

Praça no coração de Goiânia tem história de luzes, motores e encantos

A Praça Almirante Tamandaré, localizada no Setor Oeste de Goiânia, é uma área verde central que se destaca por sua história e relevância cultural. Planejada pelo arquiteto Attilio Corrêa Lima na década de 1930, a praça é um dos exemplos da proposta original de Goiânia como uma cidade-jardim. No entanto, sua urbanização só ocorreu na década de 1970, quando a praça se tornou um ponto de encontro vibrante para a juventude goiana

Durante seu auge nos anos 1970 e 1980, a Praça Almirante Tamandaré foi o epicentro da vida noturna em Goiânia. Cercada por bares, boates e lanchonetes badaladas, a praça atraía jovens para os famosos rachas de automóveis e motos, que ocorriam aos finais de semana. As apostas eram comuns, e a praça se tornou conhecida pela sua atmosfera rebelde e pelo barulho dos motores acelerados. Além disso, intelectuais e artistas também frequentavam os bares ao redor da praça, criando uma mistura única de cultura e boemia.

A Praça na década de 70. Foto: Acervo Carlos William Reprodução de Goiânia Antiga)

A Praça Almirante Tamandaré, no Setor Oeste de Goiânia, passou por uma transformação ao longo dos anos. Antigamente, era conhecida como um ponto de encontro para jovens e um local popular para rachas automotivos, além de abrigar bares e lanchonetes animados. Com a proibição dos rachas e a mudança dos bares para outras áreas, a dinâmica da praça mudou, tornando-se mais comercial. Hoje, ela abriga a Feira da Lua, uma das maiores feiras livres de Goiânia, realizada aos sábados das 16h às 22h, onde você encontra roupas, calçados, alimentos e artigos de decoração​.

Além disso, a Praça Tamandaré é um local importante para eventos sazonais, como a tradicional decoração de Natal, com um túnel de luzes sobre a Avenida Assis Chateaubriand. Com o tempo, a praça tornou-se um centro comercial, com serviços bancários, produtos automotivos e restaurantes. Também é o local de uma das barbearias mais antigas de Goiânia, a Barbearia New Star, que atrai políticos e autoridades locais há décadas​ ​. Para ver a Praça Almirante Tamandaré em detalhes, você pode conferir vídeos no YouTube que mostram o local em vista aérea e em eventos específicos​.

Natal na praça

A decoração de Natal é tradicional na Praça

A decoração de Natal é tradicional na Praça

A decoração natalina da Praça Almirante Tamandaré, em Goiânia, é um evento tradicional que atrai muitos visitantes durante o período de festas. A atração principal é o túnel de luzes, que cobre a Avenida Assis Chateaubriand, criando um espetáculo visual para quem passa por ali. Além disso, há um trenó do Papai Noel e uma árvore de Natal, compondo o cenário festivo que se tornou uma tradição para os goianos​.

Esta decoração natalina transforma a Praça Almirante Tamandaré em um ponto de encontro para famílias, turistas e locais, que desfrutam do ambiente festivo e aproveitam para tirar fotos. A iluminação natalina é inaugurada com eventos e solenidades especiais, tornando-se uma parte integrante das celebrações de fim de ano em Goiânia​ ​.

Para conhecer mais sobre a decoração natalina da Praça Almirante Tamandaré, você pode assistir a vídeos no YouTube que mostram como a praça fica durante a temporada de Natal, dando uma visão detalhada do túnel de luzes e de outras atrações festivas​ (youtube)​.

O nome da praça é uma homenagem ao Almirante Joaquim Marques Lisboa, o Marquês de Tamandaré, que teve uma carreira distinta na Marinha do Brasil. Ele participou ativamente de várias batalhas navais que moldaram a história do país, incluindo a Guerra da Tríplice Aliança contra o Paraguai. Além disso, ele desempenhou um papel significativo na Proclamação da República do Brasil, embora tenha se posicionado a favor do Imperador Pedro II.

A Praça Almirante Tamandaré, com sua história rica e diversificada, continua a ser um local significativo para a cidade de Goiânia, oferecendo um vislumbre do passado e um espaço vibrante para o presente. Sua preservação e reinvenção contínua refletem a evolução da cidade e a importância de manter espaços públicos que unem cultura, história e lazer.

Leia também:

Prédio histórico de Goiânia, Centro Cultural Grande Hotel recebe revitalização

Prédio histórico na Avenida Goiás guarda história de sucesso, progresso e orgulho da sociedade goiana

 

Companhia de Dança de Goiás é destaque em Turnê Internacional

A Giro 8 Cia. de Dança está embarcando em turnê internacional, levando sua vibrante dança contemporânea e uma história de doze anos de dedicação aos palcos ao redor do mundo. Este grupo, enraizado na cena cultural de Goiás, está se preparando para fazer sua estreia em três países da América Latina: Panamá(18 a 21 de abril), Cuba (23 a 25 de abril) e Bolívia (9 a 11 de maio). O grupo irá apresentar seu mais recente espetáculo, “Começaria Tudo Outra Vez”, a companhia não apenas exibirá sua arte, mas também promoverá oficinas e debates sobre a rica tradição da dança brasileira.

dança goias

Foto: divulgação

No Panamá, o elenco brasileiro será destaque no  13º Festival Internacional de Artes Escénicas de Panamá (FAE). Em seguida, eles se dirigirão a Cuba, onde farão sua estreia no 28º Festival Internacional de Dança em Paisajes Urbanos: Habana Vieja Ciudad en Movimiento. Finalmente, na Bolívia, o palco será o festival de dança Proyecto mARTadero, em Cochabamba.

Este é um momento de emoção  para a Giro 8 Cia. de Dança, que continua a fortalecer sua presença, agora de forma internacional, levando consigo não apenas sua arte, mas também o espírito vibrante e diversificado da cultura brasileira. 

Paraíso natural e exótico no nordeste é marco da história do Brasil

Porto Seguro, localizada no extremo sul da Bahia, é um verdadeiro tesouro para os amantes do turismo, oferecendo uma mistura fascinante de história, cultura e beleza natural. Como ponto de partida para a colonização do Brasil pelos portugueses, a cidade é conhecida como o berço do descobrimento do país, um marco histórico que atrai visitantes de todo o mundo.

Além de sua importância histórica, Porto Seguro é abençoada com uma paisagem deslumbrante, com praias de areias douradas, águas cristalinas e falésias coloridas. Esses cenários paradisíacos são ideais para relaxar, praticar esportes aquáticos e desfrutar do sol tropical.

No entanto, o encanto de Porto Seguro vai além de suas praias deslumbrantes. A cidade preserva um valioso patrimônio histórico e cultural, com edifícios coloniais bem preservados, igrejas centenárias e museus fascinantes que contam a história da região desde os tempos antigos até os dias atuais.

Parte desse patrimônio é protegida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que trabalha para preservar e promover a rica herança cultural de Porto Seguro. Entre os locais de destaque estão o Centro Histórico, com suas ruas de paralelepípedos e casarões coloridos, e o Marco do Descobrimento, que marca o local onde os portugueses desembarcaram pela primeira vez em terras brasileiras.

Além de explorar o patrimônio histórico, os visitantes de Porto Seguro podem mergulhar na cultura local através de sua vibrante cena artística, festas folclóricas e culinária deliciosa. Não faltam opções para os turistas, desde passeios de barco até as famosas barracas de praia, onde é possível saborear pratos típicos da região, como moqueca e acarajé.

Porto Seguro é muito mais do que apenas um destino turístico; é uma experiência inesquecível que combina história, cultura e natureza de maneira única. Seja para quem busca relaxamento nas praias paradisíacas, para os interessados em história e cultura, ou para os amantes da boa comida, esta cidade encantadora tem algo a oferecer para todos os gostos.

Centro historio de Porto Seguro é fantástico

Seu centro histórico, tombado pelo IPHAN, é um testemunho vivo do legado arquitetônico e cultural deixado pelos colonizadores portugueses desde os primórdios da colonização. Ao passear por suas ruas de paralelepípedos, os visitantes são transportados para o passado, onde igrejas barrocas e casarões coloniais contam a história da região.

Um dos pontos mais emblemáticos do centro histórico é o Marco do Descobrimento, que marca o local exato onde os portugueses desembarcaram pela primeira vez em terras brasileiras em 1500. Esta é uma parada obrigatória para quem deseja conhecer de perto os primeiros passos da história do Brasil.

Outra atração imperdível é o Memorial da Epopéia do Descobrimento, que oferece aos visitantes uma verdadeira jornada pela história marítima portuguesa e a chegada ao Brasil. Com exposições interativas e emocionantes, este museu é uma oportunidade única para aprender mais sobre os eventos que moldaram o destino do país.

A Passarela do Álcool, agora rebatizada como Passarela do Descobrimento, é outro ponto de destaque em Porto Seguro. Esta rua animada combina história com vida noturna agitada, sendo conhecida por seu vibrante mercado de artesanato e pela deliciosa culinária baiana. Não deixe de experimentar os sabores autênticos da região, como o acarajé, vatapá, bobó de camarão e a famosa moqueca baiana.

Além do rico patrimônio histórico e cultural, Porto Seguro também é famosa por suas deslumbrantes praias. A praia de Taperapuã, em particular, é conhecida por sua animação e festas, atraindo turistas de todo o mundo em busca de diversão e entretenimento à beira-mar.

Hospedagem em Porto Seguro

Quando se trata de hospedagem, a cidade oferece opções variadas, desde hotéis de luxo até pousadas mais simples, adequadas para todos os gostos e orçamentos. As praias de Mundaí, Taperapuã e Mutá são populares entre os turistas, assim como a Vila de Arraial d’Ajuda, que se destaca por suas belas praias e charmoso centro.

A melhor época para visitar Porto Seguro é durante a alta temporada, de dezembro a março, quando o clima é mais ameno. Porém, essa é também a época de preços mais elevados e maior movimentação turística. Para aqueles que preferem uma experiência mais tranquila, visitar fora da alta temporada pode ser uma boa opção, embora haja maior chance de chuvas.

O acesso à cidade é facilitado por voos diretos de várias capitais brasileiras. Para se deslocar em Porto Seguro, alugar um carro é uma opção conveniente, mas a cidade também dispõe de um sistema de transporte público eficiente e táxis regulamentados

.Paraíso natural

A cidade é abençoada com uma série de praias deslumbrantes, conhecidas por suas águas mornas e cristalinas e areias finas e douradas. Entre as mais famosas está a Praia do Espelho, frequentemente citada como uma das mais belas do Brasil, que encanta com suas falésias coloridas e piscinas naturais formadas durante a maré baixa. Outra joia é a Praia de Taperapuã, o ponto de encontro para quem busca diversão, com suas barracas animadas, música ao vivo e uma variedade de atividades aquáticas. Cada praia em Porto Seguro tem sua própria personalidade, oferecendo experiências únicas, seja para relaxamento ou aventura.

Além das praias, Porto Seguro é cercada por uma riqueza natural impressionante, que inclui recifes de coral, manguezais e a exuberante Mata Atlântica. Essa biodiversidade é um convite para a prática de ecoturismo e aventuras ao ar livre. As trilhas na área do Parque Nacional do Pau Brasil são uma oportunidade para explorar a flora e fauna locais, incluindo várias espécies endêmicas. Para os amantes de snorkel e mergulho, os recifes de coral ao redor de Porto Seguro oferecem um espetáculo à parte, com uma vida marinha vibrante e colorida. Essa combinação de praias paradisíacas e riqueza natural faz de Porto Seguro um destino imperdível para quem busca uma experiência autêntica e repleta de beleza.

Em resumo, Porto Seguro é um destino que combina praias paradisíacas, rica história e cultura vibrante, sendo ideal para qualquer tipo de viajante. É um lugar onde se pode desfrutar tanto da natureza quanto da agitação, com um toque especial da hospitalidade baiana​​​​​​.

Leia também:

Cidade apaixonante no nordeste brasileiro abriga forte histórico, praias paradisíacas e cultura secular

A apaixonante Veneza brasileira fica no nordeste e atraí visitantes de todo o mundo

Capital do nordeste atrai famílias apaixonadas em praia, sossego e boa gastronomia

Prédio histórico de Goiânia, Centro Cultural Grande Hotel recebe revitalização

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), concluiu a nova pintura externa do Centro Cultural Grande Hotel, localizado no encontro da Avenida Goiás com a Rua 3, no Centro da Capital. A manutenção foi realizada em parceria com a empresa Luztol Tintas. A previsão é que ainda neste ano o prédio receba também reforma na estrutura interna.

O prefeito Rogério ressalta que, apesar de ser gerido pela Prefeitura, o local tem uma questão administrativa e financeira pendente com Instituo Nacional do Seguro Social (INSS), que brevemente será concluída. “A Prefeitura está em negociação para que tudo seja quitado e resolvido o mais breve possível. Agora, com a doação da Luztol, o Grande Hotel está com pintura nova por fora. Afinal, é um bem da nossa cidade e precisa de cuidados da gestão pública. Esperamos que a população contribua para manutenção do local, já que o prédio é sempre alvo de muita pichação”, pontua.

A previsão é que o Grande Hotel receba em breve uma manutenção na área interna. “Estamos com projeto em andamento, com orçamento para reparos na estrutura interna. O prédio é muito antigo e nós temos que seguir as orientações do Iphan, respeitando o estilo Art déco, que não pode ser mudado em nada. Temos que ser cuidadosos com isso, afinal é um ponto de referência histórica, que guarda recordações e faz parte da cultura goianiense”, afirma o prefeito.

Símbolo da História de Goiânia

Inaugurado em janeiro de 1937, o Grande Hotel é o primeiro hotel de Goiânia. Desde 1991 é tombado como patrimônio histórico de Goiás pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e atualmente está em funcionamento como um polo da Secult, com atendimento aos alunos do curso de iniciação musical da Rede Municipal de Núcleos Musicais da Orquestra Sinfônica de Goiânia e aulas de dança de salão para adultos e idosos.

O hotel é símbolo do movimento arquitetônico Art Déco, que combinou estilos modernistas com habilidade fina e materiais ricos. Durante o seu auge, na época em que foi construído, o Grande Hotel representou luxo, glamour, exuberância e fé no progresso social e tecnológico.

Foram publicados dois editais para concorrência pública e arrendamento do Grande Hotel, já mobiliado e equipado. O contrato foi assinado por Maria Nazaré Jubé Jardim em 17 de fevereiro de 1937, pelo prazo de três anos. Também constava no contrato que o letreiro luminoso a gás néon da fachada deveria ser iluminado todas as noites.

Grand Hotel fez sucesso nos primeiros anos da formação da então nova capital – Foto: Reprodução/ IBGE

Com 60 quartos, sendo quatro de luxo, distribuídos em três pavimentos, o local recebeu nomes famosos como o antropólogo Claude Lévi-Strauss. Da construção original resta a estrutura da fachada, tendo o interior sido descaracterizado ao longo dos anos.

As instalações passaram por reforma em 2004, quando o Grande Hotel sediou o evento Casa Cor. Em 1991, o edifício foi tombado pelo Município como Patrimônio Histórico de Goiás sendo um dos 20 bens que formam o patrimônio do estilo arquitetônico Art Déco em Goiânia. Em 1998 foi tombado pelo Estado e em 2003 foi tombado pelo Iphan no Conjunto Arquitetônico Art Déco e Urbanístico de Goiânia.

O hotel se tornou um grande polo cultural de Goiânia, reunindo ali muitos visitantes que chegavam na cidade, seja a passeio ou a negócios. O hotel proporcionava o ambiente ideal para que os artistas se encontrassem com um público desprovido de locais formais para assistirem apresentações musicais.

Era, inclusive, a arrendatária Maria Nazaré quem tocava piano todas as noites para animar as reuniões da sociedade goianiense, que aconteciam nos salões do Grande Hotel. Estes eventos sociais, sempre seguidos de música, ocorriam com frequência, especialmente aos sábados.

O “Palácio Monumental”, como também era conhecido o Grande Hotel, foi palco dos primeiros bailes de carnaval da capital, onde se apresentavam a banda da 1ª Cia. da Polícia Militar, o Jazz Band Imperial e outros grupos.

Com o passar dos anos, o primeiro hotel de Goiânia se tornou ponto de encontro de diversas tribos urbanas, curtindo um samba ao vivo.

 

*Fontes: Secom; CNB Goiás

Veja também:

Goiânia recebe Mostra de Cinema Indígena com entrada gratuita

De 17 a 19 de abril acontece a 2ª edição da Manifesto – Mostra Dom Tomás Balduíno de Cinema Indígena, no Centro Cultural da UFG. O evento integra a programação oficial da Semana dos Povos Indígenas, promovida pela PUC/GO, e tem apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. A realização é da Vietnam Filmes, Balaio Produções e Comitê de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno.

Segundo seus idealizadores, Claudia Nunes e Erico Rassi, a edição especial da Mostra foi criada para comemorar o Centenário de Dom Tomás Balduíno, um dos fundadores do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e defensor histórico de direitos humanos na América Latina. O objetivo é valorizar o seu legado e dar visibilidade para a produção cinematográfica de realizadores e realizadoras indígenas sobre suas lutas e resistência histórica.

A sessão de abertura da Mostra, no dia 17/4, às 19 horas, com o tema IMAGEM e MEMÓRIA, dá o tom do evento, exibindo os documentários “Yaõkwa – Imagem e Memória” e “Avá Canoeiro – A Teia do Povo Invisível”.

O primeiro, com direção de Vincent Carelli e Rita Carelli (Pernambuco/2020), apresenta o reencontro do povo Enawenê Nawê, com o ritual Yaõkwa, filmado ao longo de 15 anos pelo projeto Vídeo nas Aldeias. O documentário registra as reações deste povo no reencontro com parentes falecidos, costumes esquecidos e preciosos cantos rituais em uma emocionante exibição na aldeia.

O segundo, com direção de Mara Moreira (Goiás), foi realizado entre 2005 e 2006, e traz cenas raras do Povo Avá Canoeiro, de Goiás, vítima de um dos massacres mais cruéis contra povos indígenas brasileiros, restando apenas alguns sobreviventes.

A sessão é seguida de uma roda de conversa, com o tema GOIÁS – TERRITÓRIOS INVISÍVEIS E APAGAMENTO HISTÓRICO, e contará com a participação de Kamutadja Avá Canoeiro, liderança indígena do povo Avá, da antropóloga Rosani Moreira Leitão e da missionária do CIMI, Sara Sanchez. Nessa noite, também será feita uma homenagem mística a Dom Tomás Balduíno.

Garantia dos direitos dos povos indígenas em Goiás 

Claudia Nunes, jornalista, roteirista e diretora de cinema, idealizadora e coordenadora da Mostra Manifesto, comenta sobre o evento, que teve sua primeira edição no ano de 2017:

“Há 8 anos a Vietnam Filmes e a Balaio Produções produziam a Manifesto – Mostra de Cinema Político, com o propósito de abrir espaço para outras cinematografias e olhares sobre os muitos mundos do nosso mundo. O primeiro encontro reuniu obras cinematográficas de Brasil e Cuba, e na ocasião oportunizou intercâmbios, formação, coprodução e difusão das obras audiovisuais entre os dois países. Em 2024 nós voltamos nossas telas para questões muito próprias do território brasileiro, numa discussão atual e urgente, já que estamos vendo terras indígenas serem invadidas e direitos sendo retirados, enquanto genocídios seguem sendo cometidos em muitas partes do mundo. O nosso propósito é ampliar as vozes de resistência.”

Claudia ainda explica que nesta edição, o objetivo é promover o encontro de lideranças indígenas, defensores de direitos humanos, pesquisadores, antropólogos, gestores, estudantes de cinema, indigenistas, cineastas, procuradores federais e defensores públicos, para discutir e criar parcerias que promovam a proteção e garantia dos direitos dos povos indígenas goianos.

Filmes e debates que contrapõem a hegemonia “branca” no cinema brasileiro

A Mostra Manifesto, com um forte olhar político e decolonial, percorre os municípios goianos de Goiânia, Catalão, Quirinópolis e Corumbá de Goiás, além da cidade de Uberlândia/MG. A programação é composta por um conjunto de obras expressivas do pensamento e cosmovisão de artistas indígenas do audiovisual, garantindo um contraponto à hegemonia branca no cinema brasileiro.

Em Goiânia, as exibições acontecem de 17 a 19 de abril, em seis sessões (tarde e noite), no Centro Cultural da UFG (Praça Universitária), e nas cidades do interior em sessões únicas.

Além dos filmes, serão realizadas rodas de conversa após as sessões para abordar diferentes temas: Goiás – territórios invisíveis e apagamento histórico; Vozes de vanguarda, memória e descontinuidade; Sem ancestralidade não há futuro; Encantamentos do mundo; Herança colonial, capitalismo e direitos humanos.

19 de Abril é celebrado o Dia dos Povos Indígenas

O Dia dos Povos Indígenas é uma data comemorativa celebrada no Brasil no dia 19 de abril e tem como propósito celebrar a diversidade das histórias e das culturas dos povos indígenas brasileiros; combater preconceitos contra os indígenas; e estabelecer políticas públicas que garantam os direitos dos povos originários.

Essa data comemorativa foi criada, em 1943, durante a ditadura do Estado Novo. Seu surgimento se deu, em boa medida, pela pressão de Marechal Rondon, importante indigenista brasileiro. Ainda, a data foi criada por influência do Congresso Indigenista Interamericano que havia sido realizado no México em abril de 1940.

Inédito em Goiás, aplicativo facilita acesso aos museus de Goiânia e região

Uma nova ferramenta digital está tornando mais fácil para os moradores de Goiânia e Aparecida de Goiânia explorarem seus museus locais. O aplicativo “Fala Sério, aqui tem museu!” foi lançado com o intuito de promover o acesso democrático à cultura e facilitar a interação das pessoas com as instituições culturais da região.

Desenvolvido pela museóloga Bárbara Freire, o aplicativo oferece diversas funcionalidades para tornar a visita aos museus uma experiência mais enriquecedora.

Com uma interface simples e intuitiva, os usuários podem explorar um mapa dos museus na região, ter acesso a tours virtuais em algumas instituições e obter informações sobre bibliotecas, parques e edificações históricas próximas aos museus.

O aplicativo conta ainda com 24 instituições que oferecem Tour 360°. O app disponibiliza informações sobre bibliotecas, parques e edificações em Art Déco. “A fim de tornar os centros culturais mais presentes na vida das pessoas, optamos por incluir no Fala Sério essas outras possibilidades de relação com o patrimônio cultural local. Assim, ampliamos seu repertório e damos autonomia para que os usuários criem seus próprios roteiros de visita”, pontua Bárbara.

O objetivo principal do aplicativo é incentivar o público, especialmente crianças, famílias e escolas, a se tornarem visitantes regulares das instituições culturais, promovendo assim uma maior integração com o patrimônio cultural local. Além disso, o aplicativo foi desenvolvido com foco na acessibilidade, oferecendo recursos para pessoas com deficiência física, visual e auditiva.

O “Fala Sério, aqui tem museu!” está disponível gratuitamente para download através do link ou no perfil @falaserioapp do Instagram, com planos de lançamento na Google Play. Essa iniciativa representa um passo importante na promoção da cultura e no fortalecimento do vínculo entre a comunidade e suas instituições culturais.

Conheça alguns museus em Goiânia:

Museu de Arte de Goiânia (MAG)

Inaugurado no dia 20 de outubro de 1970, o Museu de Arte de Goiânia (MAG) funcionou nos seus primeiros tempos na Praça Universitária. Destinado às artes visuais, o MAG foi transferido para o Bosque dos Buritis em 1981. Centenas de obras, de diferentes linguagens artísticas, compõem o seu acervo, formado pelos nomes de maior representatividade da arte brasileira, como: Siron Franco, Antônio Poteiro, Frei Confaloni, DJ Oliveira, Gustav Ritter, Cleber Gouvêa, Amaury Menezes, Maria Guilhermina e muitos.

Endereço: Rua 1, nº 605, Bosque dos Buritis, S. Oeste.
Tel: 3524-1190.
Horário: terça a sexta-feira, das 9h às 18h, sábados e domingos, das 10h às 16h
Entrada franca

Museu de Ornitologia José Hidasi

Criado há mais de 40 anos, o local conta com exposição permanente de animais e aves empalhados de várias partes do mundo. José Hidasi, húngaro naturalizado brasileiro, foi fundador do museu e tinha o sonho em transformar o local em um Instituto de Biodiversidade.

Endereço: Av. Pará, S/N Campinas.
Telefone: 3233-5773
Horário: segunda a domingo, das 8h às 18h
Entrada franca

Museu Zoroastro Artiaga

O Museu Zoroastro Artiaga foi o primeiro de Goiânia. Criado em 1946, no governo de Coimbra Bueno, é localizado na Praça Cívica, e leva o nome do historiador e pesquisador que teve a preocupação de reunir um vasto material relacionado a Goiás e à fundação de Goiânia. Sua exposição permanente contempla aspectos arqueológicos, antropológicos, da cultura material indígena e da minerologia, grande parte coletada pelo historiador e pesquisador. Uma coleção de oratórios, documentos e fotos históricas registra a história de Goiás.

Endereço: Praça Cívica, Centro
Telefone: 3201-4676.
Funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 9h às 15h
Entrada franca

Museu da Imagem e do Som (MIS)

O local possui um amplo acervo de discos, fitas, gravações e filmes. A parte fonográfica tem 40 mil discos, parte doada pela Rádio Brasil Central. O museu traz a história da TV em Goiás a partir de fitas pertencentes à Coleção Brasil Central e passam por processo de restauração e digitalização. Toda a coleção das dez edições do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) também integra o acervo do museu, criado em 1988.

Endereço:
Centro Cultural Marietta Telles – Praça Cívica, Centro
Telefones: 3201- 4643 e3201-4644
Horário: Segunda a sexta, das 8h às 17h
Entrada franca

Museu Antropológico da Universidade Federal de Goiás

Direcionado ao ensino e à pesquisa, o Museu Antropológico da Universidade Federal de Goiás (UFG), localizado na Praça Universitária, propõe a discussão sobre a região Centro-Oeste. Imagens, sentimentos, símbolos e objetos significativos permitem a construção da identidade regional. O museu promove seminários, oficinas, cursos e eventos diversos.

Endereço: Praça Universitária, Setor Universitário.
Telefone: 3209-6010
Horário: segunda a sexta-feira, das 8h às 18 horas.
Entrada franca

Museu Pedro Ludovico Teixeira

Instalado na antiga casa do fundador de Goiânia, Pedro Ludovico Teixeira, o museu traz uma decoração típica dos anos 40, em estilo Art Déco. Com móveis originais, amplo quintal e pomar repleto de árvores frutíferas, piscina (agora coberta), muro baixo que dá para a Rua Gercina Borges Teixeira, a casa se mantém intacta, como seu dono a deixou quando morreu em 1979.
Recentemente revitalizada, a biblioteca do museu possui centenas de livros, muitos deles doados pelo ex-governador Mauro Borges Teixeira, filho de Pedro Ludovico. Os documentos foram higienizados, catalogados e acondicionados. Em breve, serão digitalizados. A documentação só é liberada para a consulta de pesquisadores e historiadores.

Endereço: Rua Gercina Borges Teixeira (Rua 26), Centro.
Telefone: 3201-4678
Horário: Terça a domingo, das 9h às 17h
Entrada franca

Memorial do Cerrado

Em perfeita integração com a natureza, o museu abriga a estação Ciência São José do Instituto do Trópico Subúmido (ITS-UCG). Além da natureza preservada, a Vila Cenográfica de Santa Luzia, a réplica do Quilombo, a Fazenda Auto-sustentável, a Aldeia Timbira são algumas atrações. As primeiras habitações construídas de pau-a-pique remetem ao quilombo dos calungas. Animais empalhados recriam o habitat natural da fauna do cerrado. O Museu de História Natural apresenta objetos arqueológicos e de pesquisa.

Endereço: Câmpus 2 da UCG – Av.Engler S/N, Setor Jardim Mariliza (próximo ao Parque Ateneu).
Telefone: 3946-1723
Horário: Segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Domingos e feriados, das 8h às 17h com intervalo de 1h para o almoço.

Museu Municipal Frei Nazareno Confaloni

O Museu Frei Confaloni (MFC) é o mais jovem dos Museus da capital Goiânia. Instalado em 2019, sua missão é promover a ocupação permanente da recém-restaurada Estação Ferroviária de Goiânia, inserindo ali os mais belos traços culturais de nossa terra, em especial a inserção do modernismo em Goiás, iniciada com o Frei Confaloni.

A construção foi erigida no Estilo Art-Déco, o que o caracteriza como uma das principais construções históricas do município de Goiânia, sendo este ainda um dos mais relevantes pontos turísticos de nossa capital. O edifício possui em sua área interna (saguão principal), dois importantes murais produzidos pelo artista italiano Frei Nazareno Confaloni (introdutor do modernismo em Goiás), ambos pintados no ano de 1953. Esses murais se destacam por serem afrescos, pintados em areia – uma técnica até então inovadora e primaz em nosso Estado.

Endereço: Rua 1, 605 – Setor Oeste
Telefone: (62) 3524-1196
Horário: terça a domingo e feriado das 8h às 18h
Entrada franca

 

O Curta Mais não se responsabiliza por eventuais mudanças. Consulte sempre antes de sair de casa!

Goiânia recebe tributo a um dos maiores cantores de jazz estadunidenses nessa sexta-feira (12)

Na próxima sexta-feira (12) um dos maiores cantores da música internacional, Frank Sinatra, é homenageado em mais uma edição do Som no Sax, que acontece no Promenade Goiânia, no setor Marista. Félix Bauer e banda são os responsáveis por cantar os grandes sucessos do intérprete norte-americano, que morreu em 1998, aos 82 anos.

 

“O Frank Sinatra foi um dos músicos mais completos e aclamados da história recente, principalmente do século 20. Ele tinha uma sensibilidade musical, tinha uma voz que era muito quente, envolvente e extremamente comercial para época”, conta Félix Bauer, ao lembrar que Sinatra é considerado um dos maiores cantores de todos os tempos e que conseguiu atingir mais de 150 milhões de cópias vendidas pelo mundo. 

Para o show foi montado um quarteto especial, formado por piano, contrabaixo acústico, percussão e bateria. Além de Bauer, o quarteto ainda conta com Merê, Jeferson Souza e Muryllo Pacheco. Entre as canções do The Voice, albúm de estreia do artista homenageado, que serão lembradas no Som no Sax estão “All or Nothing at All”, “Come Fly with Me”, “Cheek to Cheek”, “My Way, New York, New York”, entre outras.

Além da homenagem à Sinatra, a noite ainda terá a discotecagem do DJ Múcio, que também é curador do Som no Sax by Promenade. “Nossa intenção é realmente promover uma experiência sensorial, diferente dos bares, normalmente, que a gente vê na cidade. A ideia é trazer música de qualidade, com comida e bebida de qualidade. Toda semana teremos uma temática diferente”, antecipa. A apresentação começa às 19h e a entrada custa R$ 30.