Leandro Hassum fala sobre o irmão preso: quero que ele se dane

Comediante perdeu o humor sobre o irmão mais velho, preso por estelionato

Marcelo Albuquerque
Por Marcelo Albuquerque

“Não falo com esse sujeito há mais de dez anos. Quero que ele se dane! Lugar de bandido é na cadeia”. O desabafo foi feito pelo ator Leandro Hassum ao jornal “Dia”, por telefone, dos Estados Unidos, onde passa férias com a família. O ator, famoso pelos personagens cômicos, negou que vá pagar a fiança de R$ 50 mil, para que o irmão, que está no Complexo de Bangu, seja libertado.

Carlos Alexandre Hassum Moreira, foi preso por estelionato no último sábado, no Recreio dos Bandeirantes. O comediante, que é a cara do irmão, disse que rompeu relações com ele.

Na noite de segunda-feira (15), Hassum postou na sua conta do Instagram fotos dele, da mulher da filha e de fãs, afirmando: “Essas pessoas me ajudam a construir o homem, o pai e o profissional que sou. Por eles dou minha vida e minhas melhores piadas. E que seja cumprida a lei e viva a HONESTIDADE! A quem possa interessar, essa é minha vida.”

leandro

Post feito no Instagram do comediante nesta segunda-feira (15).

O advogado de Carlos Alexandre, Rafael Faria, conseguiu a liberdade provisória dele, mas a Justiça condicionou a soltura ao pagamento da fiança, estipulada pelo delegado Antenor Lopes, da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), responsável pela prisão em flagrante.

Carlos Alexandre é dono de uma ficha criminal extensa. Desde 1997, são 16 anotações criminais pelos mais variados golpes.

Segundo o delegado, Carlos Alexandre se passava por representante de uma agência de turismo para adquirir ingressos para camarotes do Carnaval carioca, os quais vendia sem repassar os valores. Com ele, os policiais apreenderam 10 ingressos, avaliados em R$ 10 mil.

Sem o apoio financeiro do irmão famoso, Carlos Alexandre depende da mulher e da mãe para arrecadar os R$ 50 mil. A fiança tem que ser paga em dinheiro vivo. Além do irmão, o pai do humorista também tinha envolvimento com o crime. Em 1994, Carlos Alberto da Costa Moreira, já falecido, foi preso e acusado por tráfico internacional de drogas.

Fonte: O Dia.

PublicidadePublicidade
PublicidadePublicidade