Pós Carnaval: O que significa a Quaresma? Entenda!

As cinzas da folia se transformam em orações e penitências que antecedem a maior festa cristã: a Páscoa

Thaís Muniz
Por Thaís Muniz
cleofas cinzas

A Quarta-feira de Cinzas marca o início da Quaresma, um período de 40 dias (tradicionalmente) ou 44 dias (atualmente, conforme estabelecido desde o pontificado de Paulo VI) de preparação para a celebração da Páscoa na tradição cristã.

Essa quarta-feira específica ocorre um dia após a Terça-feira de Carnaval e é determinada pelos critérios estabelecidos no primeiro Concílio de Niceia para a Páscoa.

A relação entre o Carnaval e a Quaresma simboliza a transição da alegria carnavalesca para a seriedade e reflexão. A ideia é que as pessoas aproveitem o Carnaval como um momento de celebração antes de se dedicarem a práticas mais introspectivas durante a Quaresma, incluindo jejum, abstinência e reflexão espiritual.

O termo “Cinzas” (em alusão à quarta-feira de cinzas) refere-se à prática simbólica de impor cinzas na testa dos fiéis em forma de cruz, como um sinal de penitência e reflexão sobre a mortalidade humana. Essas cinzas são tradicionalmente obtidas pela queima dos ramos abençoados no Domingo de Ramos do ano anterior.

A imposição das cinzas é acompanhada da frase bíblica: “Lembra-te que és pó e para o pó voltarás” (Gênesis 3:19), destacando a efemeridade da vida e a necessidade de arrependimento durante a Quaresma.

Mas o que significa a Quaresma?

A Quaresma é um período de preparação para a celebração da Páscoa, marcado por práticas de penitência, como jejuns e obras de caridade. Tradicionalmente, é entendida como um período de 40 dias, mas possui atualmente a extensão de 44 dias. Essa prática surgiu no século IV d.C., quando foi estabelecida a data da Páscoa, uma celebração móvel cuja definição do dia é estabelecida pelos critérios do primeiro Concílio de Niceia.

Ela é vista, principalmente na tradição católica, como um momento propício para jejuns, caridades e orações, buscando ampliar a devoção a Deus e arrependimento dos pecados.

A palavra Quaresma, derivada do latim “Quadragesima,” significa “quarenta dias,” refletindo sua duração tradicional. A associação ao número 40 é observada em relatos bíblicos, como o jejum de Jesus no deserto, o dilúvio de Noé e a travessia do deserto por Moisés e os hebreus.

A Quaresma é praticada por fiéis católicos, ortodoxos, anglicanos e luteranos. No Brasil, cristãos evangélicos, em sua maioria, não observam a Quaresma.

Quando surgiu?

A Quaresma, consolidada no século IV d.C., teve origem no primeiro Concílio de Niceia, em 325. Nesse concílio, foram estabelecidos critérios para a data da Páscoa, incluindo o equinócio da primavera e as fases da Lua. O termo “Quaresma” foi mencionado nesse concílio, sugerindo uma evolução gradual de práticas cristãs ao longo da Antiguidade, como jejuns pré-Páscoa.

O que se pratica?

Durante os 40 dias, muitos fiéis praticam o jejum, abstendo-se de carne vermelha, doces ou bebidas alcoólicas, de acordo com suas convicções. Na Sexta-feira Santa, é comum a abstinência de carne, preferindo-se carne de peixe. Intensificação da leitura da Bíblia, aumento das orações e a realização de obras de caridade são práticas reforçadas durante a Quaresma.

Outra prática quaresmal é que muitos fiéis intensificam a leitura da Bíblia, assim como aumentam sua rotina de orações. Por fim, a realização de obras de caridade àqueles que necessitam é outra prática reforçada durante esse período.

 

Veja também:

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar aqui e escolher.